Por que as pessoas desistem da academia?

17 abr

Bom dia!! Pedi para o Rodrigo Paiva ( @personal_sa) nos ajudar com uma questão que vejo muito acontecer:

Por que a maioria das pessoas que se matricula em uma academia ou “começa” a fazer caminhada não completa 3 meses?

” Claro que todo mundo sabe da importância da atividade física! Isso é mídia diária de jornais, programas de televisão, revistas e redes sociais. Aumento da longevidade, da força muscular, dos benefícios cardiovasculares, da prevenção de uma lista enormes de doenças, etc. Se faz tão bem, por que muitos não fazem e as que tentam iniciar não dão a devida sequência?

São muitas razões… Continue lendo o texto, veja os principais motivos que nos levam a interromper um programa de condicionamento físico e dicas para não parar!

Inicialmente, devemos saber que alguns resultados são lentos. Às vezes, imperceptíveis em 30 dias ou difíceis de mensurar. Por exemplo, prevenção de doenças; como se mede? É muito difícil de falar: “Se eu não estivesse fazendo caminhada, eu não teria adoecido.”

Tenha claro na sua mente que você não “enxergará” esse resultado. O que se sabe é que, se você for fisicamente ativo, terá menor chance de ter um infarto, por exemplo. Outros resultados já são mais rápidos, porém você precisa de sensibilidade para percebê-los: com duas semanas, ficará mais fácil subir escadas, levantar-se da cama ou da cadeira; seu humor e sono irão melhorar bastante! Mas, não são todos que conseguem perceber isso.

Uma dica é, ao acordar, dê uma nota de 0 até 10 para a qualidade do seu sono, dores no corpo e disposição. Anote na sua agenda para que possa lembrar-se de repetir 3 semanas adiante. Refaça esta avaliação e veja se melhoraram suas notas. Isso irá te ajudar a perceber as pequenas, porém, valiosas mudanças iniciais!

Outra coisa é não começar com muita sede ao pote. Aquela empolgação inicial de academia! É comum ver as pessoas terem em mente fazer 4 ou 5 vezes por semana para conseguir atingir rapidamente seus objetivos. Se conseguir, ótimo! Mas, não se cobre demais no início. Tente fazer 2 vezes por semana; 40 minutos! Já está ótimo para o primeiro mês! O próximo passo é aumentar a frequência para 3 vezes e assim por diante. Se começar se cobrando, talvez não consiga por muito tempo. Aí, o que acontece com a maioria é: começar fazendo 3x em uma semana; mas, como na semana seguinte o trabalho ou estudo apertaram, a frequência cai para somente 2 dias. E uma consequência normal é desistir, já que a proposta de 4 ou 5 vezes por semana não está sendo cumprida. “Já que estou indo tão pouco, é melhor parar… duas vezes não adianta nada”. Você precisa criar o hábito de praticar atividade física até seu corpo sentir falta dela. Se iniciar com um volume muito alto, talvez seu corpo te peça para parar de treinar, pois é uma “carga” muito pesada para ele.

Se você ainda não tem o hábito, você precisa de força de vontade, foco, disciplina… e, sinceramente, é muito difícil encontrar pessoas com uma determinação tão grande assim. Mais de 50% não passam do terceiro mês. Você precisa começar a sentir prazer! E esse sentimento não vai surgir começando com uma intensidade tão alta assim. Talvez seja mais estressante do que prazeroso para seu organismo.

Outra coisa é não se preocupar com seu peso. Essa frase se justifica porque há uma grande chance de ele aumentar nas primeiras semanas por causa de adaptações que acontecem no sangue e musculatura. Faça uma avaliação física e já deixe a outra quitada para 45 dias. Três meses (90 dias) talvez seja muito… Obrigue-se a fazer! Pegue mais firme com a alimentação e não dê justificativas para prorrogar a reavaliação. Ela te ajudará a ter mais disciplina!

Tenha um bom professor ao seu lado, mesmo que não seja seu personal. Conte para ele seus objetivos e prazos. Peça ajuda e combine algo com ele. Por exemplo: “Em mais 30 dias quero estar correndo 500 metros sem parar.” Anote na agenda e peça que cobre de você semanalmente! Um(a) amigo(a) em quem você se inspira também pode te ajudar com incentivos e cobranças!

Provavelmente, muitas “forças” irão te desviar do caminho: festas, cansaços, stress, trabalhos… mas, para continuar praticando atividade física sempre é necessário que você veja que vale a pena gastar seu dinheiro e tempo com isso. Por isso, parâmetros que te ajudem a avaliar seu progresso são fundamentais! Assim você irá pensar (mesmo que seja inconsciente e não perceba). “Isso me faz tão bem que vale muito a pena “perder” um pouco de tempo e dinheiro”

 

Por Rodrigo Paiva. Autor do livro “As verdade que você precisa saber”

 

Share
Print Friendly
  

Escoliose: Um mal que afeta grande parte da população.

16 abr

  Oie! O post de hoje é sobre um assunto super importante mas que nem sempre as pessoas dão a importancia que ele merece: Escoliose!
   Eu sou a prova de que não só o corpo muda COMPLETAMENTE  com uma boa postura, mas também o nosso futuro! Coluna é algo muito sério e temos que cuidar desde sempre. A Dani Nascimbem é minha físio ha 1 ano e meio, ela faz rolfing. Para quem quiser saber mais sobre o rolfing ( amo e indico MUITO!) clique AQUI
escoliose 1
Escoliose é definida como um desvio da coluna vertebral  em “S” ou “C”. Sabe quando nos vemos no espelho e observamos um ombro mais alto que o outro?  Ou um lado da bacia mais alto que a outra? Ou até mesmo uma perna mais curta que a outra? Essa é a famosa escoliose.

E porque ela aparece? Desde quando iniciamos nosso desenvolvimento motor lá atrás, na nossa infância ao engatinhar e andar,começamos a desenvolver vícios de postura e de movimento, devido ao desequilíbrio de forças e mobilidade dos músculos.

Já fase da adolescência esses vícios vem a tona pelas particularidades da idade, sejam elas culturais ou comportamentais.

Então quando o desequilíbrio muscular começa a aparecer é como se houvesse um “cabo de guerra” entre os músculos que sustentam a coluna, que estão dispostos aos lados, a frente (abdômen) e atrás dela.  Os que estão mais fortes acabam por vencer e tracionam e giram a vértebra gerando o desvio ósseo da mesma.  Não podemos esquecer que os músculos das pernas e pés também tem grande influência para a acentuação da escoliose. Joelhos valgos, joelhos hiperextendidos , pés chatos, pés planos, por exemplo.

A intenção é vivermos a favor da força da gravidade para facilitar nossa locomoção como, por exemplo, gastar menos energia para andar, sentar, ficar em pé e correr. Mas sabemos que fazer isso no nosso dia a dia é complicado ficar atento na correção dos nossos vícios posturais.

A dor é um fator muito agravante desse diagnóstico e é um sinal que as coisas não andam bem.

 

1- A pessoa já nasce com escoliose ou adquirimos ao longo da vida?!

Não, a escoliose é desencadeada no desenvolvimento da motricidade. Geralmente, na adolescência ela se torna mais aparente. Se detectada, é uma ótima fase para iniciar um tratamento .

2- Quais as dicas para prevenir uma escoliose?

Existe um conjunto de fatores para prevenir a escoliose:
- usar sapatos adequados (evitar os saltos altos)
- distribuir igualmente o apoio das pernas ao ficar em pé e ao caminhar. Para isso é necessário cultivar a consciência corporal.
- fazer atividade física adequada, encontrar um equilíbrio.
- usar um colchão e travesseiro adequado, de preferência firme.
- fazer ajustes da cadeira, mesa e computador no ambiente de trabalho.

3- Quais os tratamentos mais indicados? E em média quanto tempo duram?

Os tratamentos mais eficazes para tratar a escoliose: são Rolfing, RPG, Pilates e a fisioterapia clássica. O tempo é uma questão individual, depende da evolução de cada um. Todo tratamento postural necessita de manutenção, até se tornar automático ficar numa boa postura. Assim como o hábito alimentar e da atividade física, por exemplo.
4- A escoliose pode nos prejudicar de que maneira?!
A escoliose a médio e longo prazo pode gerar dores musculares, tornando um ciclo vicioso sentar, caminhar, correr errado. Influenciando diretamente na qualidade de vida.
5- Uma postura boa pode “mudar” o corpo?!
Sem dúvida! A boa postura alonga a silhueta. Existem casos de pessoas magras que tem algumas “dobrinhas” nas costas por exemplo, que ao ajustar a postura elas desaparecem. Portanto, a boa postura pode ser um ótimo aliado a qualidade de vida e a uma silhueta elegante.
6- Como descobrimos se temos escoliose?
O diagnóstico é feito sempre por um médico através da avaliação clínica e exames de imagem. O tratamento é feito por um fisioterapeuta com acompanhamento médico e medicação adequada se necessário.  Existem inúmeras técnicas de tratamento eficazes para esse mal como a fisioterapia clássica de reajuste postural através de alongamentos e fortalecimentos,  RPG (reeducação postural global)com realinhamento dos músculos e fáscias, Pilates  e Rolfing® que trabalha as fáscias musculares reintegrando toda estrutura óssea,  sistema fascial e muscular amenizando assim as dores e melhorando a postura e a consciência corporal.

Se você tem algumas dessas questões procure um profissional da área para viver com melhor qualidade de vida! #vivasemdor

Daniela Nascimbem

nascimbem@gmail.com

escolise4

Share
Print Friendly
  

Hotéis pelo mundo

15 abr

Oie!

Hoje tem mais dicas maravilhosas da @behindthescenesnyc.

Semana passada nós mostramos para vocês dicas de restaurantes bons e saudáveis em NY. Para quem ainda não viu, é só clicar AQUI.

Agora… dá uma olhada nos lugares incríveis!! Sério… é de babar!!

1) Laucala Island, em Fiji

Já imaginaram uma ilha privativa “orgânica” que faz parte do arquipélago de Fiji, no meio do Oceano Pacifico? A Ilha Laucala é assim! Tudo que é servido no Laucala Island Resort, que faz parte do Leading Hotels of the World, é orgânico e produzido na ilha. Uma das filosofias do resort é incorporar os elementos que fazem parte da natureza local na experiência de cada hóspede! O Resort oferece 5 restaurantes incríveis para você experimentar!

Laucala Island - piscina

Laucala Island – piscina

Laucala Island - por do sol

Laucala Island – por do sol

Laucala Island - quarto

Laucala Island – quarto

Laucala Island - view

Laucala Island – vista

2) Cozinha cultural no hotel Les Cinq Djellabas, no Marroco

O hotel Le Cinq Djellabas tem apenas 10 suites (eco-friendly, claro!) e oferece um serviço super personalizado. Um dos passeios mais interessantes é sair pela manhã com um dos guias/chefs para passear nos souks (mercado tradicional no interior da Medina) para comprar os ingredientes locais onde ele fará um incrível e inusitado café da manhã. O melhor? A vista que você terá é “apenas” da maravilhosa cordilheira do Atlas que tem mais de 2,400km de extensão. Marhaba!

Marroco - Les Cinq Djellabas (foto malloryontravel.com)

Marroco – Les Cinq Djellabas

Marroco - Les Cinq Djellabas

Marroco – Les Cinq Djellabas

3) Jantar dentro do Vulcão Thrihnukagigur, na Islândia

Para os viajantes mais aventureiros, o Vulcão Thrihnukagigur (a 30km de Reykjavik, capital da Islândia) é o único lugar do planeta com acesso livre à uma câmara magmática. Há 4mil anos o vulcão entrou em erupção pela última vez, porém diferente do que normalmente acontece, a câmara magmática não foi preenchida com a lava – que pós erupção esfria e endurece, bloqueando a entrada. Assim, hoje virou um destino de desejo para muitas pessoas que buscam viagens diferentes. Existe ainda a possibilidade de fazer um jantar romântico dentro do vulcão (a 120m de profundidade) com transfer de helicóptero e um private chef a disposição! O acesso é somente o verão, já que a temperatura interna do vulcão fica em torno de 6°C (no inverno, esta temperatura cai).

Vulcao Thrihnukagigur - Foto Benjamin Hardman

Vulcao Thrihnukagigur1 - Foto Benjamin Hardman

 

4)  The Gritti Palace, em Veneza

Em um dos hotéis mais luxuosos e românticos de Veneza, você pode fazer um programa um pouco diferente. Se você aprecia uma boa culinária, o hotel oferece cursos privativos de culinária em sua “Epicurean School”. Lá você aprenderá receitas venezianas incríveis, descobrirá produtos/ingredientes deliciosos e terá esta experiência gastronômica toda ao lado do incrível e premiado Executive Chef Daniele Turco. Ah! Você também pode ter visitas guiadas aos mercados locais, como o Rialto Market, com o próprio Chef Daniele.

 

The Gritti Epicurean School - Veneza

5) Song Saa Private Island, no Camboja

Fundado por um casal chamado Rory e Melita Hunter e criado a partir do desejo de construir um santuário de luxo sustentável, o Song Saa Private Island Resort é um dos lugares mais incríveis do mundo! No arquipélago de Koh Rong, o resort foi construído com materiais sustentáveis mantendo um respeito enorme com a natureza local – o que com certeza influencia a escolha dos clientes que são eco-lovers. Só para dar mais vontade, o resort tem uma incrível piscina infinita, um spa no meio da floresta tropical da ilha, um centro de meditação e yoga, programas ecológicos para desbravar a ilha, vários esportes aquáticos e ainda produtos de beleza desenvolvidos na própria ilha, assim como artesanatos locais! Incrível – 100000 vezes incrível!

Song Saa Private Island Cambodia

Song Saa Private Island Cambodia2

Song Saa Private Island Cambodia3

Song Saa Private Island Cambodia4

Song Saa Private Island Cambodia5

Song Saa Private Island Cambodia6

Share
Print Friendly
  

Raio-X Leila Freire

14 abr

Olá!
O Raio-X de hoje além de ser uma história bem legal também serve como alerta para um doença difícil de ser diagnosticada, a doença celíaca.
Semana passada eu falei um pouco sobre o movimento #poenorotulo (você pode ler aqui). E hoje, vocês vão conhecer a história da Leila.
image(4)
1) Como você descobriu que tinha a doença celíaca? O que você sentia quando ainda não estava com a doença controlada?
 
Aos 2-3 anos de idade. Era uma criança desnutrida, que não conseguia desenvolver, ganhar peso, vivia bastante doente e irritada. Apresentava muita dor abdominal, diarreia, vômito, gases e distensão abdominal. Fui consultada por diversos pediatras e sempre a principal suspeita era a alergia à lactose e, mesmo com este item dispensado da minha alimentação, não apresentava melhoras. Por um bom tempo fiquei me alimentando à base de rã, coelho, banana e arroz, até serem eliminadas todas as suspeitas de alergia. Na companhia da minha mãe, fui ao Rio de Janeiro para ser avaliada por um gastropediatra (Dr. Aderbal Sabrá). Passei por uma bateria de exames e, na biópsia do intestino, fui diagnosticada com Doença Celíaca (DC).
image(1)
2) Quais foram as maiores dificuldades na hora de se alimentar? (Você podia almoçar na casa de amigos, como fazia em festinhas, acampamentos etc)
Na época do colégio, sempre observava meus coleguinhas comendo biscoitos, sanduíches, salgados e eu em contrapartida levava sucos, sorvetes (que acabavam derretidos antes de consumi-los), bolachinhas especiais da vovó ou bolinhos feitos por minhas tias e mamãe. Em aniversários, minha mãe me salvava preparando salgados e docinhos sem glúten e combinava com o garçom para me servir como se fosse da própria festinha. Até hoje, evito almoçar/jantar na casa de outras pessoas. Acho que incomodo pela quantidade de alimentos restritos, além do risco de contaminação.
image(2)
3) Como é a sua alimentação agora?
 
Atualmente sigo uma dieta para ganho de massa muscular orientada pela nutricionista Drª. Tatiana Aguiar. O cardápio diário é basicamente composto por: raízes (inhame, batata-doce, macaxeira/aipim), ovos de capoeira, saladas diversas (principalmente espinafre, brócolis e couve), frango, feijão fradinho ou grão-de-bico, lentilha, tapioca, queijos e iogurtes sem lactose (esta foi retirada da dieta por eu ter desenvolvido certa intolerância), sopas (sou viciada na de abóbora!), legumes (cenoura, beterraba e berinjela), frutas (banana-da-terra e banana prata, maçã, kiwi, mamão), além de polivitamínicos e suplementos alimentares (BCAA, whey protein, glutamina).
leila4
4)  Como você dribla as dificuldades de se alimentar hoje em dia?
 
Tenho sempre comigo barrinhas sem glúten ou proteicas que me salvam nas longas jornadas diárias, seja na gaveta do trabalho, no carro e na bolsa. Uso muito a quest bar, think thin, pacoquita, as barrinhas da Harts, monama, mixnuts, barrinha de gergelim da airon, bio2, zone perfect, schar, as bolachinhas de arroz integral da camil. Uso muito os produtos da schar e da monama, são os que mais amo!
leila1
5) Sente falta de comer algo?!  Pelo o que substitui isso?!
 
Diante da restrição, aprendi a ser muito disciplinada. Por exemplo: não me importo de ir a uma comemoração em uma pizzaria, mesmo sabendo que é um ambiente totalmente inadequado para os celíacos, HAHAHAHA! Costumo me alimentar bem antes de algum evento e fico bebendo suco, água de coco ou saco da minha bolsa em um passe de mágica algum lanchinho. Contudo, não vou mentir para vocês: experimentei pela 1ª vez há alguns anos em Florença, na Itália, uma pizza de marguerita sem glúten e achei o prato mais sensacional do planeta! Voltaria novamente só para comê-la, mas me contento com a fiel escudeira tapioca.
leila2
6) Desde que mudou a alimentação por causa da doença, o que mudou no seu corpo?!
 
Meu corpo é um eterno mutante. HAHAHAHAHA! 
Na fase de criança à adolescência, fui gordinha. Comia muito chocolate, creme de milho, arroz e carne-do-sol com cebola. Amava! Aos 16-17 anos, fui da obesidade à anorexia. Tinha em mente que ser magro era sinônimo de beleza. Sofri muito nesta fase, apresentei anemia aguda, suspeita de leucemia, fraqueza… Perdi nessa época 24kg, chegando a pesar 39kg (com 1,54m de altura). Nossa! Gosto nem de lembrar… Hoje estou com 50,8kg e percentual de gordura de 16% e quero chegar aos 12%.
 image(8)
7) Qual receita (pode ser mais de uma) que você costuma fazer e indica para os leitores do blog?
As preferidas são o escondidinho de batata-doce, pão integral sem glúten e sem lactose.
 
8) Quais alimentos que são super gostosos e fáceis de encontrar que você indica?
Tenho a sorte de ter nascido num país tão rico em alimentos naturais, frutas, verduras, raízes… Produtos naturalmente sem glúten e que permite uma variação e combinações incríveis! Adoro um inhame com carne do sol, salada de frutas, tapioca de coco, bolo de milho. Todos esses ingredientes achamos em qualquer supermercado, feira e estamos nutrindo nosso corpo com os benefícios que eles proporcionam. Pipoca, cuscuz e claro, tapioca! Sou muito fã, minha refeição livre da semana é sempre tapioca, quando saio para comer com amigos, sempre vou em cafés nordestinos pois sempre há uma variedade muito grande de alimentos sem glúten. Só lembrando sempre de perguntar sobre a utilização de temperos prontos, sazon, caldos de carne/galinha pois eles contêm glúten!
image(5)
9) Quando vai viajar leva sua própria comida?! Como se organiza?!
Em viagens internacionais não me preocupo em levar alimentação, desde o vôo (as empresas geralmente oferecem alimentação GF!, desde que seja solicitada com antecedência), restaurantes e até nos supermercados é muito fácil encontrar os produtos para celíacos. Tem sessões especiais nos supermercados (o que é o whole foods? Eu me senti a pessoa mais realizada do mundo, enlouqueci e me emocionei! Coisas que eu nunca tinha comido, tipo brownie, cheesecake, sanduíches, tudo ali disponível para nos celíacos!) restaurantes que no cardápio continham opções para celíacos, snacks saudáveis e sem glúten encontrados em farmácias…
Aqui no Brasil, por conta da falta de informação sobre a doença e por serem alimentos bem mais caros que outros e requerer um local totalmente separado para o preparo dos alimentos, ainda é bastante difícil ir a um restaurante sem correr o grande risco de contaminação. O fato de, por exemplo, um pão de queijo mineiro (sem glúten) ser assado ou estar exposto junto a outros alimentos com glúten, já torna inviável para nós comê-los. Procuro sempre um hotel que tenha possibilidade de acesso a um microondas e supermercado para comprar minhas comidinhas e prepara-los antes de sair, estou sempre com minha marmitinha. É uma dedicação que muita gente pode achar trabalhoso, mas eu amo e virou um estilo de vida.
image(6)
10) O que mudou no mercado desde que você descobriu a doença? (os rótulos já são mais explicativos ou ainda falta?)
Nossa, como hoje está evoluído! Hahaha! Quando pequena eu comia sempre as mesmas coisas, sempre! Minha mãe lutou ativamente junto a outras mães e a Acelbra para conseguirmos a “Lei sem Glúten”. Hoje os fabricantes tem a obrigação de por no rótulo se o produto contém glúten ou não. Tenho uma mania que desenvolvi talvez por estar muito preocupada, de ler rótulos. Leio tudo que encontro e, mesmo com a legislação em vigor encontro muita coisa que informa não conter glúten e  tem no ingrediente farinha de trigo integral. Por isso que tento sempre estar divulgando a doença celíaca, a importância que deve ser dada a essa doença e os cuidados que se deve ter ao preparar e comprar os alimentos. Acredito que deveria haver uma melhor para alérgicos em geral, ovo, amendoim, lactose… Mas estou sempre na ativa para tornar isso em realidade!
image(9)
11) Qual conselho você daria quem acabou de descobrir que tem a doença celíaca?
Sigam a dieta sem glúten à risca! O glúten não está presente apenas nos alimentos, existem medicamentos e até maquiagens que contêm glúten! Portanto, é muito importante estar sempre lendo e ter acompanhamento médico para controle da saúde, já que não absorvemos tão bem os nutrientes necessários a manutenção da saúde. Não se permitam a cair em tentação, quando oferecerem um pedaço de brigadeiro falando: só um pouquinho não vai fazer mal, lembre-se que o glúten é uma proteína e ela é um invasor no nosso corpo. Ouço muito as pessoas me perguntarem:
- Nossa, você não toma leite? As pessoas sempre confundem o glúten com a lactose, sempre, por isso é importante que saibamos o que contém glúten e o que é a doença celíaca para podermos explicar. Ou, – e você come o que? Você não come pão? Gente, nós podemos comer várias coisas, e sejam fiéis, a recompensa do bem estar e não sentir dores e incômodos é muito maior que qualquer prazer momentâneo de ingerir um alimento que não podemos. Convivo com a doença a 24 anos e hoje em dia está muito mais acessível encontrarmos os produtos e usarmos a criatividade para fazer muitas comidinhas!
A Leila também deixou uma receita adaptada do nosso querido e amado Pãozinho de Queijo Mineiro, na versão Fit.

Ingredientes:

1 xícara e meia de tapioca ( ou polvilho azedo); 100 g de batata doce;
1 scoop de whey sabor baunilha (quem não tiver pode usar 3 cs de leite desnatado em pó);
80 g de queijo cottage sem gordura;
1cc de sal;
1cs de azeite;
2 claras;
1 cc de sobremesa de fermento em pó;
Modo de preparo:

Pré aqueça o forno em temperatura média. Ponha todos os ingredientes num bowl e amasse com a mão até soltar dos dedos (caso não solte pode adicionar mais um pouco de farinha de tapioca ou polvilho);
Coloque a massa na geladeira por 10 minutos. Retire da geladeira e faça bolinhas e coloque-as em uma assadeira untada com margarina.

Deixe em fogo médio-baixo por 30 minutos e está pronto o seu pãozinho!

Pode ser usado como Lanchinho, pre-treino ou café da manhã.

pao

Sugestões de recheio:

requeijão zero em copo;
peito de peru;
pasta de amendoim;
geleia sem açúcar.

Espero que vocês tenham gostado!
Beijos.
Share
Print Friendly
  

Põe no rótulo

11 abr

Oi, gente!

Como vocês sabem, sempre que posso, posto receitas sem glúten e lactose. Eu não tenho nenhum problema em consumi-los, mas de um tempo pra cá, venho diminuindo cada vez mais e venho reparado muitas mudanças no meu organismo. Mas o que para mim é uma opção, para outros, virou uma regra.

foto(5)

Vocês já ouviram falara da doença celíaca? Essa é uma doença autoimune, que afeta o intestino delgado interferindo diretamente na absorção de nutrientes essenciais ao organismo como carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, sais minerais e água. Caracteriza-se pela intolerância permanente ao glúten em pessoas geneticamente predispostas. O único tratamento é a dieta isenta de glúten por toda a vida.*

poenorotulo02

Mateus Solano

Graças a Deus, hoje em dia está mais fácil de identificar essa doença. Mas antigamente era muito complicado e a vida de uma criança com essa rejeição era muito ruim. e nós ainda temos um problema: os rótulos. Por isso, algumas mães se juntaram e criaram o movimento #poenorotulo.

Essas mães defendem que no rótulo, haja informações bem claras  sobre a presença alimentos alérgenos como leite, soja, ovo, trigo, amendoim, oleaginosas, frutos secos e peixes… E não apenas no alimento propriamente dito, mas também se ocorre qualquer risco de “contaminação”.

poenorotulo03

Ziraldo

Isso mesmo!! Apenas do produto passar por máquinas ou lugares que contenham resquícios desses alimentos, ele já pode desencadear um quadro alérgico, podendo até chegar em um choque anafilático! Gente!! Isso é muito sério…  Já pensou se acontece com o seu filho??

poenorotulo04

Zico

 

Vocês podem encontrar mais informações no Facebook e também no insta @poenorotulo.

Vamos participar dessa?? Eu já estou!

Beijos.

 

*Fonte: http://www.fenacelbra.com.br

Share
Print Friendly
  

Alimentação emocional

10 abr

Alimentação X Esgotamento Mental

 pedri2

Cada vez mais a ciência vem provando que a composição dos alimentos que você come pode afetar o funcionamento do seu cérebro modificando seu humor incluindo o estado de alerta e até a percepção à dor.

O que há nos alimentos que conferem tais poderes? A habilidade de modificar a produção e liberação de neurotransmissores, que são aqueles mensageiros químicos que carregam informações de uma célula nervosa para outra. No nosso cérebro apesar de tudo isso parecer complicado e a ciência ainda não sabe tudo. Como você deve mudar sua dieta para tentar melhorar seu humor? A seguir você vai encontrar algumas sugestões:

 

  • Aumente seu estado de alerta com proteínas: alimentos ricos em proteínas, quando digeridos, se quebram em aminoácidos. Um aminoácido, conhecido como tirosina, pode aumentar a produção de dopamina e adrenalina que são neurotransmissores capazes de aumentar a energia e o estado de alerta. Alimentos ricos em proteínas incluem peixes, carnes, aves e ovos.

Se não for possível ingerir esses alimentos, tente alimentos ricos em proteínas que também contém quantidades significativas de carboidratos como legumes, queijos, leite ou tofu ou até um shake de proteínas (Whey).

 

  • Para relaxar e diminuir o stress, coma carboidratos: a ingestão de carboidratos leva ao aumento nos níveis de insulina que auxiliam na “limpeza” de aminoácidos do sangue, menos do triptofano. Este aminoácido, uma vez no cérebro, aumenta a produção de serotonina que é um neurotransmissor capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, produzir sensação de calma e até induzir ao sono. Dietas com baixa teor de carboidratos pôr vários dias podem fazer com que o humor fique mais depressivo.

Alimentos saudáveis ricos em carboidratos incluem pães e biscoitos integrais, massa integral, arroz, cereais e frutas. Ah, e não vamos esquecer do chocolate, em pequenas quantidades é claro.

  • Ácido fólico também é importante para o humor: deficiência de ácido fólico tem sido associada a depressão em alguns estudos, por levar a queda nos níveis de serotonina no cérebro. Quantidades pequenas como 200 microgramas já são suficientes para melhorar o humor e pode ser obtida numa xícara de chá de espinafre cozido ou um copo de suco de laranja.

 

  • Falta de selênio pode causar mal – humor:  especula-se que o selênio possa ter alguma função neurológica ainda desconhecida, mas seu mecanismo de ação ainda é um mistério. Sabe-se que indivíduos que sofrem de carência de selenio são mais irritados, ansiosos e depressivos e a suplementação normaliza o humor.

Alimentos ricos em selenio são as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), atum, semente de girassol, cereais integrais.

 

  • Coloque ovos em sua dieta e melhore sua memória e concentração:

A colina é uma vitamina do complexo B que está presente em alimentos ricos em colesterol como ovos e fígado. A falta deste componente pode causar comprometimentos da memória e da capacidade de concentração, pois é precursor do neurotransmissor acetilcolina. Não deixa de ser uma boa desculpa para incluir no seu plano alimentar, sem excessos, é claro.

 

  • Não retire os carboidratos de sua dieta:

A conexão direta entre o consumo de carboidratos e o humor esta relacionada diretamente ao aminoácido Triptofano, que é a matéria prima para fabricar Serotonina no seu cérebro e melhorar seu humor.

Alem do humor, os carboidratos são a principal fonte de energia de alimentação ajudando a combater o cansaço e a fadiga, porém, é importante fazer escolhas inteligentes com grãos integrais, frutas, vegetais e legumes, ricos em fibra.

  • Coma mais ômega 3: Recentemente alguns estudos revelaram possível relação entre o consumo de ômega 3 (encontrado em peixes gordos, linhaça e oleaginosos) e proteção contra a depressão. Possivelmente isso ocorre porque melhora a química do seu cérebro.

 

  • Tome um café da manhã equilibrado: Tomar café da manhã regularmente melhora o humor, a memória e a energia ao longo do dia, além de acalmar. De preferência a cereais ou pães integrais, alguma proteína magra e gorduras do bem.

 

  • Loucura de fim de ano:

Comer não é apenas um ato físico, mas também muito emocional. No cérebro existe uma reação chamada de Hipocampo que regula nosso ato de comer. Lá existe um centro da fome e outro centro da saciedade. Fome é um sentimento natural de sobrevivência, ou seja, comemos para não morrermos de fome, e essa sensação é desencadeada pela falta de comida. Já a saciedade é quando nos avisa que devemos parar de comer e, em geral, “da pau” nesse sistema que é controlado pela serotonina (que traz bem estar) e a dopamina (sensação de recompensa). O que aumenta rapidamente a serotonina no cérebro é o açúcar e quem aumenta a dopamina é a gordura, ou seja, o chocolate realmente traz felicidade. Para que dure pouco e, logo a sensação passa, da vontade de comer de novo. Daí o “vício”.

As dietas radicais retiram completamente algum grupo alimentar ou são muito pobres nutricionalmente, afetam diretamente a química cerebral podendo levar a importantes alterações de humor, como ansiedade, tristeza, depressão e até síndrome do pânico. Sem contar a fraqueza, cansaço e falta de energia.

 

 

 

 

Informação Extra

 

Vitamina B6 : também é um ingrediente necessário na produção de seretonina, portanto, alimentos ricos nessa vitamina podem auxiliar no bom humor. Alguns exemplos ricos em B6 e carboidratos são: bananas, batatas, uva passa, cereais integrais.

 

Cálcio: sabe-se que ajuda a reduzir irritabilidade e nervosismo em mulheres na TPM ( tensão pré-mentrual). O ideal é ingeri-lo com regularidade, em  torno de 1200mg por dia. Alimentos ricos em cálcio são leite, iogurte e queijos.

 

Camomila: já era usada desde 1800 para acalmar crises histéricas. Atualmente é usada também para diminuir a ansiedade. Devido a seu efeito anti – espasmódico auxilia também no alívio de cólicas e problemas digestivos. Para potencializar o efeito calmante, adicione um pouco de mel, devido aos benefícios do carboidrato.

 

Magnésio: está envolvido também na regulação de serotonina e portanto no controle do humor. Alimentos ricos são cereais integrais e frutas secas.

 

Texto escrito por Dr. Filippo Pedrinola- Endocrinologista e colaborar do Tips4life.

 

Share
Print Friendly
  

Intervalo entre os lanchinhos

9 abr

Gente!!

Aqui está mais um post IN-CRÍ-VEL do Rodrigo Paiva. Para quem não sabe, o Rodrigo é professor e nutricionista e faz parte da equipe do @personal_sa :

Todo mundo sabe que o intervalo “ideal” entre as refeição é em torno de 3 em 3 horas. Mas, o que acontece se você comer com intervalos menores? 2h em 2h? Ou menos? Se eu beber um cafezinho é considerado “beliscar”?

Uma das primeiras regras passadas por “profissionais da alimentação” é: coma com intervalos regulares. Ainda não há um total consenso sobre o intervalo ideal. Alguns falam 4 horas. Outros 3 horas. E, sinceramente, isso acontece porque não há um intervalo 100% correto. Para algumas pessoas, pode ser de 4 em 4 horas. Para outras, de 2 em 2. Depende principalmente da rotina (trabalham sentadas, caminham o tempo todo, agacham e levantam…?) e da refeição anterior.

Esses intervalos podem variar muito! E o ideal é você procurar um profissional para te auxiliar! Um caso “extremo” para dar exemplo: professor de spinning ou gari. Como eles se movimentam muito, precisam de mais energia. Talvez 3 horas seja muito tempo. A energia da refeição anterior já se esgotou e eles precisarão abreviar o jejum.

Conhece alguém que corre ou pedala por 2 horas seguidas? Eles precisam se alimentar durante a atividade. Suplementos de carboidratos, aminoácidos… Ou seja, o intervalo foi menor do que as 3 horas tão faladas. Portanto, tudo depende do que você estará fazendo neste intervalo. Uma gestante talvez não conseguirá esperar tanto tempo para se alimentar.

Também já é de conhecimento de todos que, se ficar muito tempo sem comer, o metabolismo baixa e a chance de engordar aumenta muito. Mas, quando dormimos, nosso metabolismo baixa naturalmente e podemos ficar por até 8 horas sem ingerir calorias. Mais uma vez: depende do que estamos fazendo.

E quando fazemos intervalos muito curtos durante o trabalho ou a cada intervalo da televisão? O que acontece com nosso corpo? Por que é necessário esperar um determinado tempo?

As respostas começam por uma questão hormonal ligada ao pâncreas. Quando nos alimentamos, esse órgão libera insulina. E insulina é um hormônio que inibe a queima de gordura. Ou seja, você, enquanto está beliscando, emagrece menos. Mesmo que seja um cafezinho ou uma mordida no biscoito a cada hora. E isso também não é legal para seu pâncreas. Como o tempo, ele pode ter disfunções e causar doenças como diabetes. O período pós-prandial é necessário ao corpo.

Se estiver ficando com fome antes das 3 horas, você precisa observar alguns itens:

- sua refeição anterior pode ter baixos valores de proteína. Esse nutriente nos sacia por mais tempo. Tente comer em todas as refeições. Mesmo em pequenos lanches.

- carboidratos de alto índice glicêmico: doces, açucares, pão branco… normalmente eles abreviam a sensação de fome. Eles podem gerar uma tendência à hipoglicemia. Assim, o cérebro te dará uma sensação de fome mais rápida do que o normal.

-poucas calorias: os lanches não precisam ser tão pequenos como uma fruta somente. Duas horas após ter comido uma maça, você pode ter uma fome natural. Seriam só 60 kcal…

-alguns profissionais e estudos mostram que consumir adoçante também pode te deixar com fome mais cedo. *mas lembre-se: é muito individual e você precisa identificar se é fome ou vontade de comer.

Uma pergunta muito comum: tomo café da manhã às 8h e almoço ao meio dia. Faço uma refeição entre eles ou não?

Você tem duas opções: 1 – reforçar o café da manhã com mais proteínas (ovo é excelente opção) e carboidratos de baixo índice glicêmico (aveia e quinoa são ótimas para isso) ou 2 – fazer o café da manhã e o lanche mais leves (iogurte com castanhas, por exemplo). *não deixe de procurar um profissional.

Perceber o seu corpo e reações é fundamental. Quando estiver começando a ter fome, tente relembrar: o que comi na refeição anterior? Tinha proteínas? Adoçante? Que horas eram? O que fiz no intervalo? Dormi bem (pois o sono influencia bastante nos processos metabólicos)? Você se conhece mais que ninguém!

 

Share
Print Friendly